Advogada por formação, ilustradora apaixonada por manipulação de imagens e pintura digital. Gosta de Livros, Música, Abóboras, Halloween, Rock e Fogos de Artifício. Vidente e psicóloga emocional.

Conto

3 minutos de leitura

[](https://www.skoob.com.br/horror-em-gotas-353954ed397418.html)

Sinopse: “Vou lhe contar uma história, mas você tem que prometer não contar a ninguém. Queime esses papéis.”

Horror em Gotas reúne 30 contos de terror, uma gota por dia, um pesadelo por noite, para que você sinta o horror desses personagens na própria pele. Tranque as portas. Apague as luzes. Não olhe para trás. O medo está à espreita e o seu tempo está acabando. Tique. Taque.

Autor(a):  Karen Alvares | Gênero: Horror/Ficção | Ano: 2013 | Páginas: 112 | Editora: – | Skoob

Após ter resenhado o conto da Karen aqui no blog ("Ninguém", resenha AQUI), a Karen entrou em contato comigo por e-mail para saber se eu estava interessada em ler seu livro “Horror em Gotas", uma coletânea de 30 contos de terror que nasceu de um projeto que ela participou chamado Um Ano de Medo que consistia em publicar um conto por dia, todos os dias por um ano. Karen publicou um conto todas as sextas-feiras até outubro de 2013, quando o projeto infelizmente acabou.

2 minutos de leitura

O escorpião (Cidade e Fortaleza Livro 1)

Sinopse: _O retorno à sua cidade natal pode ser uma experiência animadora ao reviver velhos sentimentos e reencontrar pessoas amadas. Mas e se esse retorno apenas trouxer dor e angústia? _

Um velho residente passeia pelas ruas e revisita memórias que estavam guardadas até chegar ao seu antigo quarto de hotel, onde enfim descobre por que voltou àquele local.

Compre: Amazon

O conto tem cinco páginas e nos leva pelos pensamentos de nosso protagonista. Ele está numa estação chamada João Felipe e não sabemos o porquê dele estar lá, mas ele resolve voltar para o hotel onde está hospedado. A partir daí, as coisas começam a ficar estranhamente confusas e bem curiosas.

2 minutos de leitura

Sinopse: Um jovem hacker passa seus dias à procura de horrores na Deep Web, até que o próprio Horror finalmente o encontra. E as consequências são piores que a morte.

Autor(a): Karen Alvares | Gênero: Terror/Horror | Ano: 2015 | Páginas: 09 | Editora: Draco | Skoob

Eu nunca pensei que resenhar um conto seria tão difícil. O livro já começa sem fôlego, alguém está com a cabeça enfiada em um tanque de água e você o acompanha numa narrativa eletrizante em primeira pessoa, descobrindo a cada capítulo o que levou nosso protagonista até a situação em que ele se encontra.

Nosso protagonista é um garoto que passava os dias atrás do PC procurando histórias aterrorizantes, até que ele achou a sua. Não quero contar muito sobre a história, já que é um conto pequeno, mas Karen consegue nos prender nessas poucas páginas com uma narrativa eletrizante.

“Mas o que mais me atormenta é saber que estou aqui por minha própria culpa, por minha ridícula curiosidade.”

3 minutos de leitura

A história que estou prestes a contar não trata de super-heróis, como você possa imaginar. Ela é sobre uma garota.

A garota invisível.

Ela nasceu anos atrás, na madrugada, enquanto a cidade era refém de uma chuva torrencial… Ou teria sido durante o dia, numa manhã em que o sol brilhava como cristal? Era difícil lembrar; as cortinas fechadas escureciam o quarto da maternidade. Ou será que toda aquela escuridão era proveniente da ambulância, que vinha a toda velocidade?

De modo ou de outro, uma coisa podia ser afirmada: a garota invisível tinha um nome, e isso nada nem ninguém contestava. Mas agora me falha a memória, e eu não saberia dizer. Beatrice, Sophia ou Louise, qual desses nomes deveria ser?

Bem, dessas informações, nenhuma verdadeiramente importava. Porque, da garota invisível, ninguém jamais lembrava.

5 minutos de leitura

http://3.bp.blogspot.com/_OwVZiXxRz1U/TFOJw0QStrI/AAAAAAAAAC8/WAH0DQbt40w/s1600/castelo.jpg

Era uma vez, em um lugar não muito distante, mas também não tão perto assim, no continente de Ser Humano, dois grandes reinos: Cérebro e Coração. Embora independentes entre si, estes dois reinos, que eram os mais importantes dali, estavam constantemente a derramar influências políticas um sobre o outro, visto que a escolha de novos representantes para o exercício do poder poderia gerar consequências para ambas as regiões. Aliás, os efeitos de tais escolhas poderiam inclusive fugir do controle e ir muito mais além, atingindo totalmente a área do continente de Ser Humano.

Desde que Infância havia partido do reino de Coração, época que coincidiu com o desenvolvimento de Cérebro, o poder centralizou-se nas mãos de quatro sentimentos: Amor, Ira, Solidão e Tristeza. Destes, era Amor considerado o sentimento mais belo e perfeito de todos os já conhecidos, tanto era que seu número de admiradores, fosse em Cérebro, fosse em Coração, faria qualquer um se perder facilmente em meio às contas. Isso se dava pois, independentemente das circunstâncias, Amor sempre aparecia como um sentimento puro, ingênuo, inatingível por qualquer mal.

Desta maneira, quando não se encontrava no poder, Amor estava sendo procurado para tal cargo ocupar, o que, de certo modo, incomodava Ira, Tristeza e Solidão. Certo dia, então, os três sentimentos receberam uma estranha e inesperada visita. Inveja, uma velha feiticeira, que em todo lugar estava e de tudo sabia, apareceu no grandioso castelo habitado pelos quatro sentimentos, e, somente ao ter certeza de que aqueles eram os três únicos sentimentos no local, injetou em cada um deles um pouco de seu próprio sentimento.

- Ó, Grande Inveja, explicai-vos então, se como o Amor jamais conseguireis ser, de que maneira podereis vós atingi-lo, roubando-lhe todo o poder? – indagou Tristeza, melancolicamente.

Inveja silenciou-se, como se pensasse , embora já soubesse a resposta para a pergunta há muito tempo.

Posts recentes

Categorias

Facebook

Meus Ebooks

Youtube

Lendo